Translate

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Estudantes de Ciências Biológicas participam do Forum Internacional de Laserterapia em São Paulo







                   As Estudantes Thais Castelo Branco Magliano e Mariana Costa Silva, participaram do evento Internacional de Laserterapia que aconteceu nos dias 8 e 9 de novembro na Universidade Nove de Julho, Campus Vergueiro, no bairro da Liberdade em São Paulo. Foram acompanhadas pelo prof. Adenilson de Souza Fonseca, responsável pelo laboratório de fotobiologia do UNIFESO e orientador das estudantes. 
                   Na programação as estudantes apresentaram trabalhos em formato de banner, a egressa do Curso de Ciências Biológicas Keila Canuto, doutoranda pela UERJ, realizou uma apresentação oral e o Prof. Adenilson uma palestra sobre "Fotomodulação na estabilidade genômica''.
           A estudante Thais apresentou o trabalho sobre a "Avaliação de ação fotodinâmica de extrato vegetal em culturas de Escherichia coli". Segundo a estudante o trabalho que tem como objetivo avaliar a capacidade fotodinâmica de um extrato vegetal de Hovenia dulcis Thunberg, popularmente é conhecida como uva do Japão, Cajueiro Japonês. Estudos com extratos vegetais tem sido propostos para testar sua possível aplicação como fotossensibilizadores na Terapia Fotodinâmica Antimicrobiana. Essa terapia é um ramo da fototerapia que tem como objetivo promover morte celular pela produção de espécies reativas de oxigênio (radicais livres).  Possui grandes vantagens como: Não há efeitos adversos descritos na literatura, não há contra indicações, possui fácil aplicação além de baixo custo. E quando utilizado em bactérias, não gera pressão seletiva, o que não gera resistência dos microrganismos, como ocorre com os principais antimicrobianos convencionais.
         A estudante Mariana Costa apresentou o trabalho sobre "A avaliação da sobrevivência de culturas de Escherichia coli expostas ao LED azul de baixa potência". Utilizando cepas de E.coli proficientes (AB1157) e deficientes mecanismos de reparo do DNA (JW1625 e JW0704). Depois de diversos experimentos feitos, nossos resultados sugerem uma redução da sobrevivência das cepas deficientes após a exposição ao LED azul. Este estudo está sendo realizado em conjunto com outro estudante de biologia o Lucas Resende.


Postagens mais visitadas